Afeevas

ASSOCIAÇÃO DOS FABRICANTES DE EQUIPAMENTOS PARA CONTROLE DE EMISSÕES VEICULARES DA AMÉRICA DO SUL

INTRANET

ENERGIA QUE VEM DO VERDE

MPF se opõe a adiamento de prazo para que montadoras se adequem à nova fase L7 do PROCONVE

Manifesto sobre eventual autorização de produção de veículos da fase L6 do PROCONVE em 2022

OPERAÇÃO DA PRF FISCALIZA CRIMES AMBIENTAIS

2014 Começa Com Uma Nova Gasolina

Grupo de Manutenção Automotiva (GMA) vê com preocupação a descontinuidade do Programa de Inspeção Veicular na cidade de São Pa...

Estudo aponta que poluição mata mais que o trânsito em São Paulo

O PROCONVE em Perigo

Petrobras divulga Manual Técnico do Diesel S10

Importância da Inspeção Veicular

Propostas Factíveis de Trânsito e Transporte Mais Sustentáveis Marcam SIMEA 2012

Yara assina acordo para compra do negócio de fertilizantes da Bunge no Brasil

Solução para Controle da Emissão de Vapor de Combustível em Operações de Abastecimento

Petrobras divulga Manual Técnico do Diesel S-50

Convênio da Receita com o Inmetro intensifica o rigor contra importação irregular

Brasil deve começar a planejar Proconve P8

AEA discute emissão de álcool não queimado

Poluição do Ar por Ozônio Preocupa, Mas Tem Solução

ANP divulga relação de postos de combustíveis obrigados a vender o óleo diesel de baixo teor de enxofre, S50, a partir de 1º de janeiro...

Revista TranspoData esclarece dúvidas sobre as tecnologias EGR, SCR e ARLA 32

Inovação Tecnológica no Combate à Poluição

Estudo reafirma aquecimento global e tira munição de céticos

Esclarecimentos sobre o ARLA 32

Organização Mundial da Saúde Alerta para Riscos da Poluição do Ar

Cetesb quer inspeção veicular de carros e motos em 124 cidades de SP

Ruído Veicular e a Necessidade de um Controle Ambiental Eficaz

Cidades do ABC terão inspeção veicular

Catalisadores falsificados desafiam a lei

Novos Padrões de Qualidade do Ar Aprovados em 25/05/2011 pelo CONSEMA (Conselho Estadual do Meio Ambiente) para o Estado de São Paulo

Inspeção de veículos movidos a diesel evita 250 mortes por ano

Evento de Tecnologia da AFEEVAS

Ranking do consumo de combustível dos modelos 2011

Multa por falta de inspeção começa dia 06/12/2010 em São Paulo

Dicas para a Inspeção Veicular Ambiental, complementares à nossa cartilha

Inmetro e Ibama fecham acordo para uso do ARLA 32

Abrandamento da inspeção veicular prejudicaria a saúde da população

Nova Instrução Normativa nº 6 do IBAMA revisa e regulamenta vários requisitos técnicos para avaliação do estado de manutenç?...

Catalisador na reposição só com selo do Inmetro

Anfavea divulgará emissões de poluentes de carros

Carros a álcool podem poluir tanto quanto os movidos à gasolina

Carros terão de poluir menos a partir de 2014

AFEEVAS alerta: ao substituir o catalisador não caia na armadilha do preço

ARTIGOS

Apresentações e comentários técnicos sobre produtos, equipamentos, procedimentos, legislações e propostas dedicadas ao controle das emissões.


Catalisador evita que cerca de 110 kg de gases tóxicos por veículo sejam liberados na atmosfera a cada ano

 ·       Produto possibilita a redução de até 99% da emissão de poluentes dos veÃculos com motores a combustão  ·       Tecnologia presente no catalisador garante que os veículos estejam em conformidade com as regras do Proconve

Publicado em 18/06/2024


 





CONTEÚDO EM PDF

Inventário de Emissões para Máquinas Agrícolas e Rodoviárias: Cenários Futuros e Projeções

Por solicitação da AFEEVAS, este inventário foi desenvolvido pela EnvironMentality em complemento ao inventário preliminar publicado em novembro de 2023, que conclui pela necessidade de uma nova fase para o Programa MAR I. Seu objetivo principal é subsidiar tecnicamente a discussão de propostas para o cronograma de implantação da nova fase MAR II, baseado nas tecnologias atualmente em uso e induzidas pelos fatores de emissão Tier 4 Final, equivalentes aos PROCONVE P7 implantados no Brasil desde 2012. Como resultado, este inventário indicou que a fase MAR II precisa contar com o maior número de categorias de máquinas possível para produzir uma redução efetiva do seu impacto ambiental e indica a possibilidade de priorização da entrada de cada uma na regulamentação.                                                                                                              Publicado em 10/06/2024 

Publicado em 10/06/2024


 Inventário de emissões para máquinas agrícolas e rodoviárias: cenários futuros e projeções

O inventário preliminar apresentado e discutido em novembro de 2023 foi aceito pelos participantes da discussão sobre a evolução do Programa de controle de emissões das máquinas agrícolas e rodoviárias para uma fase MAR II e gerou a expectativa de um salto tecnológico com a adoção dos fatores de emissão Tier 4 Final em vigor nos Estados Unidos.

Com base nesta hipótese, este trabalho estendeu as projeções para o horizonte de 2040, sob quatro cenários, para a introdução das novas tecnologias de forma escalonada em datas diferentes, de forma a permitir o desenvolvimento das novas máquinas.

Diante da ausência de projeções de vendas até 2040, foi utilizada a curva já estimada até 2030 no inventário preliminar, estendida linearmente até 2040 pela tendência dada pela regressão desta curva completa, ou seja, entre 1990 e 2030. As estimativas das frotas foram feitas com os mesmos critérios de sucateamento desenvolvidos para o inventário preliminar. Também foram mantidas as demais premissas adotadas no inventário preliminar, tais como fatores de uso, potência média por categoria, consumo específico de combustível e outros parâmetros necessários aos cálculos.

Para a estimativa dos fatores de emissão efetivamente trazidos pelos limites Tier 4, foram calculadas as razões entre os limites da fase P7 do PROCONVE para veículos pesados e as respectivas médias de emissão certificadas nos últimos dez anos, tendo em vista que as tecnologias da fase P7 são esperadas para o cumprimento de Tier 4 Final. Estas relações mantiveram-se constantes no período considerado e não houve distinção significativa entre os diferentes tamanhos de motor e, por isso, foram adotadas as médias obtidas para cada poluente. Desta forma a extensão dos cenários MAR II ficaram coerentes com a fase MAR I, cujos valores foram as médias de certificação.

Com estas premissas, foram construídas as curvas de evolução das emissões anuais de NOx, MP, THC e CO esperadas até o ano de 2040, que oferecem as seguintes conclusões:

1.   A atenuação do crescimento da emissão de NOx provocada pela fase MAR I é passageira e já mostra uma tendência de reverter, o que exige a implantação de uma nova fase MAR II;

2.   Os cenários avaliados levam a dois níveis distintos de emissão em 2040: os que consideram as máquinas com potências inferiores a 75 kW e os que não as incluem por serem as de maior impacto social. Portanto, é mais importante incluí-las no Programa, mesmo que flexibilizando o seu prazo de implantação como mostram os cenários 4 e 5, do que antecipar os prazos das máquinas maiores;

3.    Para compensar a exclusão das máquinas pequenas no programa, seria necessário antecipar a implantação de todas as demais, iniciando concomitantemente em janeiro de 2027, o que seria nitidamente inviável e justifica mais uma vez a necessidade de inclusão das máquinas com potência inferior a 76kW na fase MAR II com os mesmos limites das demais;

4.     Estas conclusões são especialmente válidas para NOx e material particulado que são os poluentes mais preocupantes no controle dos motores Diesel.
 

São Paulo, 10 de junho de 2024.

 

Fábio C. Branco                                                       Gabriel M. Branco
















CONTEÚDO EM PDF

Inventário Preliminar de Emissões para Máquinas Agrícolas e Rodoviárias

Por solicitação da AFEEVAS, este inventário foi desenvolvido pela EnvironMentality com dados conservadores para avaliar a necessidade de intensificação do controle de emissões e categorizar as fontes comparativamente, determinando quais seriam as prioritárias em um programa de controle, e estimar a ordem de grandeza das reduções necessárias para interromper o crescimento das emissões anuais dos poluentes envolvidos e, num segundo passo, reverter as suas tendências de crescimento para descaracterizar tais fontes de emissão como prioritárias. Como resultado final, este inventário indicou que a fase MAR I reduziu o crescimento das emissões anuais com o aumento das frotas, mas embora a frota de máquinas corresponda a 1/3 daquela de caminhões, ainda apresenta impacto ambiental da mesma ordem de grandeza e já permite uma priorização das categorias mais importantes para o controle ambiental, encerrando a primeira etapa dos trabalhos.          

Publicado em 27/11/2023


 

Inventário preliminar de emissões para máquinas agrícolas e rodoviárias

 

O inventário de fontes de emissão é uma ferramenta que utiliza dados estatísticos da utilização de máquinas e seus fatores médios de emissão para estimar impactos ambientais.

Os inventários não são verdades absolutas, mas estimativas exploratórias comparadas sob critérios semelhantes para verificar a necessidade de controle de emissões e estimar a intensidade necessária das ações a serem propostas.

Numa primeira fase, é feito um inventário preliminar, com dados conservadores para avaliar a necessidade de intensificação do controle de emissões e categorizar as fontes comparativamente, determinando quais seriam as prioritárias em um programa de controle, e estimar a ordem de grandeza das reduções necessárias para interromper o crescimento das emissões anuais dos poluentes envolvidos e, num segundo passo, reverter as suas tendências de crescimento para descaracterizar tais fontes de emissão como prioritárias.

Identificadas as fontes que merecem tratamento ambiental, os setores envolvidos devem discutir o que será possível fazer técnica e economicamente, mas à luz das necessidades apontadas pelo inventário preliminar, criando cenários de implantação de limites por categoria. Nestas discussões, o inventário deve ser refeito para cada cenário idealizado para comparação, desta vez com dados mais realistas para que o programa de controle não seja definido a partir de expectativas muito otimistas e resultem ineficazes.

O presente inventário, correspondente à fase inicial e exploratória, foi desenvolvido pela EnvironMentality por solicitação da AFEEVAS e discutido com as partes interessadas na Comissão Técnica Fora de Estrada e Geradores da AEA, tendo recebido das entidades participantes inúmeros ajustes em seus dados primários, especialmente os fatores de emissão que foram gentilmente compilados e fornecidos pelo Instituto Mauá de Tecnologia.

Como resultado final, este inventário preliminar indicou que a fase MAR I reduziu o crescimento das emissões anuais com o aumento das frotas, mas embora a frota de máquinas corresponda a 1/3 daquela de caminhões, ainda apresenta impacto ambiental da mesma ordem de grandeza e já permite uma priorização das categorias mais importantes para o controle ambiental, encerrando a primeira etapa dos trabalhos.

Na próxima etapa, os estudos focalizarão estratégias tecnológicas que permitam criar uma tendência de redução significativa das emissões anuais.

 

São Paulo, novembro de 2023.

 

 

Fábio C. Branco                                  Gabriel M. Branco